Prosopopéia: (substantivo feminino) 1. Rubrica: retórica. Figura pela qual o orador ou escritor empresta sentimentos humanos e palavras a seres inanimados, a animais, a mortos ou a ausentes; personificação, metagoge. 2. Derivação: por extensão de sentido; discurso empolado ou veemente.
(Dicionário Houaiss)
Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 8 de agosto de 2009

Terceiro e último dia de Congresso

Antes tarde do que nunca! Ontem foi meio impossível escrever... Mas agora tá tudo aqui (quase tudo, tem coisas que foram faladas no Congresso que merecem post exclusivo).

O dia começou um tanto atrasado (40 minutos), mas muito, muito bem! Após um “aquecimento” com os Doutores da Alegria, teve início a primeira plenária do dia (e, na minha opinião, a melhor do Congresso), com o tema: Liderança e empreendedorismo socioambiental. O holandês Stef van Dongen, CEO da ENVIU começou falando da habilidade e do hábito dos jovens de hoje em criar comunidades, compartilhar idéias e informações (ele mesmo, muito jovem, disse que cresceu com facebook, myspace, etc.). E, em seguida, apresentou a grande sacada de sua empresa: a danceteria sustentável. Sim, é isso mesmo! Vamos para a balada contribuir para a preservação do meio-ambiente! O piso da danceteria funciona como um gerador de energia, que capta energia do impacto dos pés das pessoas dançando. Já existem danceterias assim na Holanda, torçamos para que a moda pegue!

Aí o cara entra com outra grande sacada: sabe aquele meio de transporte indiano que parece uma mistura de triciclo e táxi? Aquilo se chama Tuk Tuk, gera uma poluição absurda e ainda assim é um meio de transporte muito utilizado por lá. A idéia do cara foi armar uma competição entre jovens indianos e holandeses para ver quem teria a melhor idéia para diminuir a emissão de poluentes do Tuk Tuk. E desenvolveram o Green Tuk Tuk, 40% menos poluente que o convencional e deu muito orgulho aos motoristas de Tuk Tuk.

A seguir, foi a vez de Alejandro Litovsky, chefe do Programa Pathways to Scale – Volans Venture. Segundo ele, 98% da Tanzânia não tinha acesso à energia elétrica e utilizavam lamparinas à querosene, a preços elevados. O que a organização fez foi levar energia solar para o povo desse país, além de ajudar outros países na África. Ainda nesta plenária, Ruy Goerck, da BASF, falou sobre as diversas ações de Desenvolvimento Sustentável que existem dentro da BASF, entre elas a utilização de PET reciclado na fabricação de tintas, a produção das Mosquito Net, rede tipo mosquiteiro, que contém um inseticida que mata os mosquitos transmissores da malária, bastando o mosquito encostar no mosquiteiro, além dos Sachês de Micronutrientes, que servem como suplemento alimentar e que são vendidos a preço de custo, nas comunidades africanas. O último palestrante da plenária foi o indiano Manish Tripathi, presidente da Fundação Dabbawala, que falou sobre o trabalho dos Dabbawala, ou “marmiteiros”. Os Dabbawala transportam as marmitas feitas pelas esposas de trabalhadores de Mumbai até o local de trabalho dos maridos e depois levam as marmitas vazias de volta. O objetivo disso é evitar que esses trabalhadores se alimentem em restaurantes, diminuindo assim o desperdício de alimentos e a produção de lixo, além de proporcionar às pessoas a satisfação de comer no trabalho a mesma comida que comeriam se almoçassem em casa.

A segunda plenária, sobre A Revolução no Trabalho: empregos verdes e gestão de pessoas apresentou estudos sobre como os funcionários reagem às ações relativas ao Desenvolvimento Sustentável dentro da empresa onde trabalham. Via videoconferência, Bob Willard, autor de alguns livros sobre sustentabilidade nas empresas, falou sobre a tendência de as empresas que possuem programas de Desenvolvimento Sustentável em ter seus funcionários mais motivados e produtivos, e de terem maior facilidade no recrutamento de melhores profissionais. Fabián Echegaray citou sete hipóteses para os “efeitos” da política sustentável dentro das empresas com relação à gestão de pessoas. E seis delas foram confirmadas em pesquisas feitas com os funcionários de algumas empresas.

A tarde começou com “Diálogos impertinentes: Um mundo em colapso ou uma oportunidade de mudanças?”, que contou com a participação do Prof. Ladislau Dowbor, da Senadora e ex-Ministra do Meio Ambiente Marina Silva e do presidente da Philips do Brasil e chairman do CEBDS, Marcos Bicudo. A senadora falou muito sobre a pouca importância dada pela maioria das pessoas ao meio ambiente, sobre o hábito do brasileiro de justificar o desrespeito às leis ou mesmo ao bom senso com a história de “é errado, mas, se todo mundo faz, eu também faço” ou “todo mundo faz errado, qual a diferença se só eu fizer o certo?”. Mas disse também que, felizmente, existem pessoas que conseguem prever as conseqüências de certos hábitos da humanidade e tomar providências para que esses hábitos sejam modificados; citou como exemplo a história de Chico Mendes.

A última plenária do Sustentável 2009 falou sobre Comunicação, Marketing e Mudança de Comportamento e teve a participação de Mattew Shirts (colunista do jornal Estado de São Paulo e coordenador do projeto Planeta Sustentável, da Ed. Abril), Luís Roberto Pires Ferreira (Vice-presidente de Responsabilidade Social do Grupo ABC), Daniela de Fiori (Vice-presidente de assuntos corporativos e sustentabilidade do Wal Mart Brasil) e da Prof. Dra. Ana Maria Fonseca Zampieri (Mestre e Doutora em Psicologia Clínica pela USP), com a moderação de Paulo Nassar (Diretor geral Aberje e coordenador do curso de Relações Públicas da ECA/USP). Nesta plenária foi discutida a atuação do setor de Comunicação na área de Sustentabilidade, a participação e efeitos de ações sustentáveis no Marketing das empresas, além das mudanças que aconteceram, acontecem e devem acontecer no comportamento tanto das empresas quanto das pessoas, com relação à Responsabilidade Sócio-ambiental.

Infelizmente não consegui assistir o início desta última plenária (estava assistindo o final do diálogo anterior, que terminou mais tarde do que estava previsto) e, por problemas técnicos, não consegui registrar nada além da cobertura dos meus colegas do Desafio Sustenta 100. Prometo nos próximos dias fazer uma pesquisa aprofundada sobre os temas discutidos nesta plenária, bem como assuntos que considerei interessantes para discutir mais no blog, discutidos nas outras plenárias.

Após a última plenária pudemos assistir a um show com os cantores Verônica Ferriani e Wilson Simoninha e, depois, aproveitamos um delicioso coquetel de encerramento, onde nós, participantes do Sustenta 100, discutimos a possibilidade de uma parceria num novo projeto, que conto assim que estiver tudo acertado. Esperem, porque a novidade é ótima!

2 comentários:

Marcos Paulo disse...

aeae.. parabens! eu ainda tenho muito que postar.. minhas anotações estao me esperando... ta mto legal seu blog!

Valéria disse...

Quem não teve oportunidade de estar presente no Congresso não deve lamentar, é só ler estas postagens e vai sentir-se como se tivesse estado. Parabéns!!!

Postar um comentário

Deixe seu comentário, opinião, pergunta, zoação, história que aconteceu com o primo do vizinho do seu amigo...

Agenda